Cabo NEUTRO pode ser MAIS FINO do que os de FASE? Dicas Flash 78 1

Quando as correntes que circulam pelos condutores destinados as fases (RST/ ABC) estão defasadas a 120 graus entre si (cargas equilibradas), a soma vetorial das mesmas é zero, logicamente então a corrente no condutor neutro também é nula.
Na prática, para detectarmos o desequilíbrio de cargas numa rede trifásica, medimos a corrente no condutor de neutro. Quanto maior a corrente nele, maior será o desequilíbrio das fases. Então, na instalação de equipamentos trifásicos equilibrados, como motores de indução trifásicos, fornos elétricos trifásicos, etc, podemos reduzir a seção do condutor neutro, conforme critérios da NBR-5410.

“6.2.6.2.6 Num circuito trifásico com neutro e cujos condutores de fase tenham uma seção superior a 25 mm2, a seção do condutor neutro pode ser inferior à dos condutores de fase, sem ser inferior aos valores indicados na tabela 48, quando as três condições seguintes
forem simultaneamente atendidas:

a) o circuito for presumivelmente equilibrado, em serviço normal;
b) a corrente das fases não contiver uma taxa de terceira harmônica e múltiplos superior a 15%; e (LER O ANEXO F DA NORMA)
c) o condutor neutro for protegido contra sobrecorrentes conforme 5.3.2.2.

NOTA: Os valores da tabela 48 são aplicáveis quando os condutores de fase e o condutor neutro forem do mesmo metal.

Nestes casos o cabo de neutro será apenas um condutor destinado a conduzir de volta para a fonte de energia os pequenos desequilíbrios que podem ocorrer. Muitas vezes, em alguns circuitos elétricos industriais, existem sensores de desequilíbrio das correntes de fase. Estes monitoram a corrente no condutor neutro. Se ela for maior do que um certo limite de tolerância, desligam automaticamente os equipamentos, evitando danos maiores, atuando assim como proteção geral.

Quer obter mais  conhecimento na área elétrica e ter mais confiança e segurança para executar serviços elétricos?
👉 Clique aqui

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *