Como PROTEGER 100% os Equipamentos da SUA CASA contra RAIOS 1

Quem nunca ouviu dizer “Caiu um raio e queimou minha TV”!

Pois é, tem como proteger seus equipamentos desse tipo de problema instalando o DPS!

Os dispositivos de proteção contra surtos (DPS) são equipamentos que detectam sobretensões transitórias (surtos) na rede elétrica e desviam para a terra as correntes de surto indesejadas. Estes distúrbios, são mais comuns do que muitos imaginam, ocorrendo diariamente em ambientes residenciais, comerciais e industriais.

Os surtos são gerados por 3 motivos:

1- Descargas atmosféricas (quando cai um raio diretamente ou próximo à uma instalação ou rede elétrica).
2- Manobras de rede (quando companhias energéticas fazem chaveamentos ou manobras de redes, causando a interrupção na distribuição de energia em determinados bairros ou ruas).
3- Liga/desliga de grandes máquinas (O funcionamento de elevadores, de aparelhos ar-condicionado ou máquinas de lavar também causam disturbios na rede, todas as vezes que são ligados e desligados, estes motores geram sobretensões transitórias que podem causar danos imediatos, à médio e longo prazo aos equipamentos conectados à mesma rede de energia).

Os principais danos causados pelos surtos elétricos são a degradação de componentes; a diminuição de vida útil de equipamentos eletroeletrônicos e até mesmo a queima instantânea destes aparelhos.

MAS COMO ESCOLHER UM DPS?

1º PASSO – QUAL A TENSÃO DA REDE?
REDE 127V – DPS DE 175V
REDE 220V – DPS DE 275V
REDE 380V – DPS DE 460V

2º PASSO – CORRENTE MÁXIMA DE DESCARGA!
*Observar o tipo de local onde será instalado.
A – Área urbana central com vários prédios e para-ráios – entre 8 e 20kA (quilo-ampères)
B – Área urbana periféricas com poucos prédios, sem para-ráios – entre 20 e 40kA (quilo-ampères)
C – Área rural ou afastada de zonas urbanas – 65kA ou maior (quilo-ampères)

3º PASSO – ONDE SERÁ INSTALADO?
*Nesse caso é dividido por classes
Classe I – Instalados nos quadros primários (QGBT) de distribuição. É a proteção primária, utilizada em ambientes expostos a descargas atmosféricas diretas, como áreas urbanas periféricas ou áreas rurais, suficiente para drenar correntes parciais de um raio.
Classe II – Instalados nos quadros secundários de distribuição, suficiente para drenar correntes induzidas que penetram nas edificações, ou seja, os efeitos indiretos de uma descarga atmosférica.
Classe III – Instalados próximos aos equipamentos. São utilizados para proteção de equipamentos ligados à rede elétrica, de dados e telefônicas.

PORTAL PARCEIRO

Quer obter mais  conhecimento na área elétrica e ter mais confiança e segurança para executar serviços elétricos?
👉 Clique aqui

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *